Mario Cunha, Músico, Professor, Comendador, Palestrante e Diretor | Ano3 Nº17 – Contratação: Onde tudo começa (ou termina) – Parte I
365
post-template-default,single,single-post,postid-365,single-format-standard,edgt-core-1.2,ajax_fade,page_not_loaded,,vigor-ver-1.12, vertical_menu_with_scroll,smooth_scroll,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive
 

Ano3 Nº17 – Contratação: Onde tudo começa (ou termina) – Parte I

Ano3 Nº17 – Contratação: Onde tudo começa (ou termina) – Parte I

Contratação: onde tudo começa (ou termina) – Parte I

Principalmente nos dias de hoje, é necessário ter muito critério e uma visão clara e transparente do que a empresa/escola pretende ao contratar um profissional.

Seja qual for a função ou cargo, é preciso estar atento ao mercado e enxergar à sua volta o que o momento sugere e aproveitar disso para construir um corpo docente mais conectado com a educação musical e com a formação acadêmica, privilegiando os que investem e acreditam no desempenho da carreira e sucesso, após anos de estudo e dedicação em um projeto acadêmico.

Sem dúvida, temos ainda a necessidade, principalmente na área musical, de receber e acolher grandes músicos natos, que devido à falta de informação ou formação, mas com extrema habilidade conseguiram um lugar ao sol e um nome, fazendo de sua arte algo especial. Por isso, precisam ser valorizados, pois certamente possuem uma abordagem educacional interessante. Porém, é cada vez mais difícil encontrar este tipo de profissional, devido aos novos tempos em que a educação, de maneira geral, impõe ao mercado a sinalização de que é necessário buscar uma formação para atuar como um profissional completo.

Em especial no Brasil, as pessoas buscam uma realização mais imediata, pela questão da sobrevivência ou mesmo pela falta de estímulo e orientação para prosseguir até a graduação, o que deve ser revisto com urgência.

Há muito tempo, deveria se contratar e valorizar profissionais com graduação superior ou, no mínimo, um curso técnico. É preciso fomentar isto para incentivar o estudo sério da música e o maior comprometimento com a área pedagógica.

A legislação muda dia a dia e deve ser acompanhada pela direção pedagógica e psico-pedagógica, para oferecer ao aluno o melhor e manter um curso de alto nível, atualizado de acordo com as novas ‘visões’ do mercado, filosofias, grades curriculares, pesquisas e necessidades próprias do nosso século.

Algumas ações que foram divulgadas recentemente e outras que chegam ao nosso mercado contribuem para maior conscientização da importância de ser um músico graduado. Por isso, precisamos apoiar e acreditar que será muito bom para a classe como um todo, se de fato, a orientação e a futura fiscalização priorizarem a educação e a dignidade da carreira do professor e do músico.

O meio musical está em pleno desenvolvimento, principalmente pela necessidade de ter professores bem preparados para lecionar em escolas regulares. A procura vem aumentando, viabilizando mais do que nunca, a busca por profissionais habilitados para atender a demanda que será criada, devido ao anúncio das últimas leis e diretrizes aprovadas para o setor.

Atualmente, creio que todos nós devemos contratar somente os profissionais que, ao menos, iniciaram o ensino regular de música, contribuindo para o engrandecimento da nossa profissão, buscando oferecer a melhor formação para os nossos alunos – futuros profissionais.

Existem muitas opções no mercado nacional e internacional para o crescimento intelectual e musical específico, como:
Curso Técnico, Graduação em Bacharelado, Graduação em Licenciatura, Cursos de Capacitação, Pós-graduação, Mestrado, Doutorado, etc. Além disso, existem possibilidades de conseguir uma bolsa de estudos tanto no Brasil como no exterior, por iniciativas privadas ou ainda pelo governo, com talento comprovado, disciplina e perseverança.

Os meios de comunicação e a mídia especializada vêm contribuindo para que essas informações cheguem ao consumidor final ou ainda ao empreendedor, que, com sensibilidade e detrimento, devem avaliar os benefícios ao realizar a educação como meio de transformação do mercado.

Vamos fazer a nossa parte como dirigentes e valorizar os profissionais que buscam investir tempo e dedicação à carreira com disciplina e resultados, contribuindo, assim, para a evolução do mercado musical e da sua profissionalização. Bem como, atuar com firmeza junto às ações destinadas a este fim.

Boa sorte a todos e boas contratações.

 

Prof. Antonio Mario Cunha
Diretor do Souza Lima Ensino de Musica,
Conservatório e Faculdade Internacional